Filosofias

InuYasha: pode-se retirar algo para levar como lição de vida deste Anime?



📖 Introdução á InuYasha

“InuYasha” é um anime e mangá japonês criado por Rumiko Takahashi. A história envolve Kagome Higurashi, uma estudante que acidentalmente viaja ao Japão feudal, onde encontra Inuyasha, um meio-demônio. Juntos, eles embarcam em uma jornada para recuperar fragmentos da Joia de Quatro Almas. A série é conhecida por sua mistura de ação, romance e elementos sobrenaturais, explorando temas de amizade e redenção.

InuYasha
Imagem Sara Blog’s

✍🏼 Contextualizando

O meio youkai Inuyasha, filho de mãe humana e pai youkai, sonha em utilizar a joia de quatro almas para se tornar um Youkai completo, porém o protagonista se apaixona pela guardiã da joia, a sacerdotisa kikyou, que também também se apaixona por ele.

Inuyasha promete usar a joia para se tornar um humano completo e viver uma vida “normal” com Kikyou, mas o vilão Naraku consegue enganar os dois apaixonados, fazendo com que lutem entre si. Nesse combate, Kikyou morre e Inuyasha fica preso por anos em uma árvore graças a uma flechada.

Após 50 anos, Inuyasha é solto pela Kagome, personagem que no decorrer da história também se apaixona por ele (Youkais envelhecem numa velocidade muito menor que os humanos, por isso mesmo após 50 anos, ele estava com a mesma aparência), e pouco tempo depois, uma bruxa consegue ressuscitar Kikyou.

Imagem Sara Blog’s

💭 Opinião

Inuyasha é o anime que melhor consegue exemplificar um relacionamento romântico real, com brigas, conciliações, ciúmes, raiva, amor, paixão, vergonha e vontades. E ele faz isso envolvendo três personagens, Inuyasha, Kagome e Kikyou.

Inuyasha ama as duas, e elas a amam de volta, e se odeiam entre si, para ele é difícil escolher entre um amor do passado e um amor atual, porque o amor do passado não havia terminado de fato, ele foi “pausado”por uma mal entendido, por isso a fagulha do apego ainda continuava acesa, já com a paixão do presente, aconteceu porque até então Kikyou era uma pessoa morta, e Inuyasha seguiu sua vida, fora a grande semelhança física entre as personagens, o que também indica como Inuyasha estava preso  ao passado.

Devemos levar em conta também que Inuyasha estava adormecido durante os 50 anos preso na árvore, por tanto, ao acordar o relacionamento com Kikyou ainda era muito recente, a percepção do tempo não tinha passado para ele, quando acordou simplesmente viu que 50 anos havia se passado, mas as lembranças de antes da flechada ainda estavam vivissimas em sua mente.

Imagem SARA Blog’s

Em uma das ótimas cenas envolvendo os 3 personagens, Kikyou prende Kagome em uma árvore para que a veja tentando matar Inuyasha e se matar, logo após um beijo entre eles. Essa cena é o exemplo do mal que a dependência emocional e o apego podem fazer. Kikyou amava Inuyasha, por isso o beijou, mas também o odiava, por isso tentou matá-lo.

Ela o odiava por causa do apego e do ciúme, não aceitava que Inuyasha pudesse se apaixonar e ser feliz com outra pessoa, para ela não importava matar e morrer, afinal já estava decepcionada o suficiente para não tentar uma vida romântica com Inuyasha, além de obviamente não querer que kagome vivesse um romance com Inuyasha. E para completar seu ato de vingança, Kikyou fez questão que Kagome visse tudo que estava acontecendo, o beijo entre eles e a tentativa de assassinato.

📘Conclusão

Términos de relacionamento podem ser muito traumáticos, principalmente para quem não escolheu. Seguir a vida e superar o luto é sempre uma dificuldade, por mais resiliente que alguém possa ser. O problema é que algumas pessoas se prendem ao passado e continuam alimentando sentimentos que são extremamente prejudiciais para seu próprio psicológico, ninguém é feliz sentindo raiva, ciúmes e vingança.

E isso se torna pior ainda quando deixa de ser algo intrapessoal para interpessoal, a partir do momento em que você não só quer, mas também tenta prejudicar outras pessoas, isso se torna potencialmente muito pior.

Só olharmos para nossa realidade, o tanto de casos de morte devido a términos de relacionamento. Pessoas tirando suas próprias vidas como aconteceu recentemente com o Youtuber “PC Siqueira”, ou então tirando a vida de outras pessoas, como em inúmeros casos de violência principalmente contra a mulher.

Monja Coen uma vez disse: “Não há nada que justifique matar ou morrer”, E eu completo: “Muito menos um término de relacionamento”.

Comentem aqui embaixo, já passaram por uma experiência de término de relacionamento? Como foi para você superar isso?



Elaborado por Rafael Munhoz e Samuel Piroupo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *