Filosofias

Demon Slayer: Temos algo para aprender com esta obra?

Introdução:

 “Demon Slayer” também conhecido como “Kimetsu no Yaiba,” é uma obra japonesa de sucesso criada por Koyoharu Gotouge. A história segue Tanjiro Kamado, um jovem que embarca em uma jornada para se tornar um caçador de demônios após sua família ser massacrada por essas criaturas. Com elementos de ação, aventura e uma narrativa emocionante, a série conquistou fãs em todo o mundo, tanto pelo enredo cativante quanto pela qualidade visual impressionante, especialmente na adaptação em anime.

Contextualizando:

Os maiores vilões dessa obra, são denominados “Oni”, ou “demônio” na dublagem em português. Independente do arco ou temporada em que o anime está, sempre quando um Oni é derrotado, sua história de antes de ter se tornado um demônio é contada, pois é nesse momento que sua natureza humana volta a ocupar sua consciência.

Opinião:

Demon Slayer é um grande ensinamento sobre privilégio, desigualdade social e preconceito, pois o anime deixa bem claro nas histórias de seus vilões que muitas vezes as pessoas fazem escolhas desesperadas porque estão desesperadas. Impressionante como essa obra consegue nos fazer odiar personagens pela maldade deles, mas em seguida nos dá um belo de um tapa na cara mostrando que as histórias de vida podem ser tão tristes, tão difíceis e tão sofridas, que nosso sentimento de raiva passa a ser dó. E mesmo isso se repetindo por várias e várias vezes na série, o roteiro consegue ser original em cada uma dessas vezes, pois cada Oni possui uma história incomum, assim como nós somos, complexos e individuais, com anseios, sonhos e tristeza subjetivas.

Na primeira temporada, duas grandes histórias são contadas, de uma criança deficiente física que passava por preconceito, não conseguia brincar com outras crianças e sua vida era apenas ficar quieto numa parte da casa, e outra história de também uma criança que estava sendo perseguida por vários adultos com armas tentando matá-la.

   Em ambas as histórias, no momento de maior desespero, uma segunda pessoa aparece prometendo uma solução para aquele problema em troca de uma escolha que iria levar essas crianças para um mal caminho. Muito parecido com o que acontece muitas vezes no nosso país, onde crianças nascem em locais pobres e insalubres, e muito próximo a elas estão exemplos de ascensão financeira e social, porém por motivos errados.

   Na segunda temporada é contada a história de dois irmãos órfãos que também são crianças. Ambos viviam uma vida miserável, a ponto do irmão mais velho se alimentar de bichos e insetos de rua, além de também morarem na rua. O irmão mais velho havia nascido com uma aparência muito incomum, e por isso as pessoas tinham nojo dele, já a irmã mais nova era extremamente bonita e quando completou 13 anos passou a se prostituir. Nesse caso, a própria história de vida deles já os tornaram maus, antes mesmo de se serem Onis já estavam roubando e até chegaram a matar.

Durante toda a obra, várias outras histórias trágicas serão contadas, e por motivos diferentes, religião, problemas psicológicos, luto… Mas como eu não quero dar mais Spoiller sugiro que assista  o anime até o último episódio lançado, e depois ler o mangá.

E vocês, concordam comigo?

Acredito que ficou bastante claro todo o ensinamento que podemos tirar dessa maravilhosa obra, eu realmente quero que as pessoas vejam Demon Slayer além dos ótimos gráficos, porque sim, vai muito além disso, e na minha opinião não existe anime que trabalhe tão bem seus vilões. E também vale uma reflexão nossa da vida real, vocês ainda acham que somente a punição que vai diminuir os problemas de violência do nosso país ou é uma questão muito mais complexa e profunda?

Existe o sintoma (a violência), porém a raiz do problema é outro, desigualdade social, econômica e educacional.

Elaborado por Rafael Munhoz e revisado por Samuel Piroupo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *