Filosofias

Fullmetal Alchemist: Entenda o sucesso do anime que tem opinião forte!

Introdução

“Fullmetal Alchemist” é um renomado mangá e anime que mergulha os espectadores em um mundo repleto de alquimia, magia e complexas tramas políticas. Criado por Hiromu Arakawa, a história gira em torno dos irmãos Edward e Alphonse Elric, que buscam a Pedra Filosofal para restaurar seus corpos após uma experiência alquímica mal sucedida. Ao explorar temas como sacrifício, ética e a natureza da alquimia, a narrativa envolvente de “Fullmetal Alchemist” cativa os fãs ao redor do mundo.

Contextualizando

Os protagonistas se dirigem a uma cidade desértica que vem se desenvolvendo mesmo com poucos recursos naturais, lá encontram uma população extremamente religiosa que idolatra um líder (vivendo no luxo) que supostamente faz milagres. A grande questão é que os protagonistas são cientistas, e contrapõem os “milagres” que são feitos pelo líder religioso, dizendo que ele se utiliza de Alquimia, a ciência da época.

Opinião

Na opinião de quem vos fala, FMA é o melhor anime de todos os tempos, pois vai muito além das lutas, poderes e gráficos. Talvez por ser uma animação, as pessoas não reconheçam a complexidade dos assuntos tratados. Já no primeiro episódio, trata de um dos maiores tabus da nossa sociedade, Religião X Ciência. Vamos aprender um pouco com essa maravilhosa obra.

Agora sim, sendo direto ao ponto. Devemos entender que a relação das pessoas com as crenças, não é sobre “saber”, e sim “querer”, afinal, fé é o conceito de acreditar em algo mesmo sem ter certeza, fé não é religião. Enquanto houver o benefício da dúvida sobre a existência ou não do metafísico, ninguém está errado até que se prove ao contrário.

     Eu que sou ateu, defendo meu lado, mas simultaneamente tento ser empático o suficiente para entender a subjetividade dos benefícios da religião. Não tenho dúvidas de que para as pessoas, se não houvesse a esperança de uma mudança positiva em suas próprias vidas através da religião, elas já teriam caído a muito tempo… No meu caso, minha fé de mudança é outra, mas quem sou eu para julgar que uma mãe rezando para seu filho se curar de uma doença terminal, não seja positivo? Se não para a cura do filho, ao menos para o conforto da própria mãe.

       E sobre os líderes religiosos que enriquecem a base da fé alheia? Os livros sagrados podem ser interpretados de várias formas, enquanto Deus, Brahma, Alá ou outro criador não disser a verdade absoluta, não existe a verdade absoluta. O quanto aquela população está sendo beneficiada? E o quanto essas mesmas pessoas estão sendo prejudicadas? É difícil saber, mas talvez o dízimo seja até pouco para manter a esperança viva na cabeça de cada um.   No desenrolar da história, o anime deixa claro que a relação das pessoas com o místico parece ser algo intrínseco ao ser humano, afinal, não é de hoje que divindades “existem”. Desde muito tempo atrás das religiões contemporâneas, seres místicos são cultuados. Por tanto, quando um líder religioso cai, provavelmente alguém deverá ocupar o lugar dele, ou até mesmo o próprio líder pode se reerguer.

Afinal, FMA debocha da religião?

É fato que existe uma crítica direta, mas não acredito que chegue a um patamar de deboche. O que a ciência quer, é explicar o mundo e suas leis naturais, a questão é que muitas narrativas religiosas são refutadas com a verdade dos fatos, e muitos religiosos se ofendem com isso. As cobras não falam, o planeta não foi criado em sete dias, os animais não foram criados do jeito que são hoje, entre várias outras “fantasias” da Bíblia. E foi isso que FMA quis mostrar, quando os protagonistas explicam a uma das seguidoras do líder religioso que os milagres nada mais são que alquimia, na verdade é apenas a ciência explicando a ordem natural das coisas…

Elaborado por Rafael Munhoz e revisado por Samuel Piroupo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *