Filosofias

Explorando as Lições de Shingeki no Kyojin: Attack on Titan

Introdução

“Ataque de Titãs” é uma série de mangá e anime criada por Hajime Isayama. Também conhecida como “Shingeki no Kyojin” em japonês, a história se passa em um mundo fictício onde a humanidade está à beira da extinção devido à existência de gigantes humanóides conhecidos como Titãs.

A trama se desenrola em um cenário medieval, onde os remanescentes da humanidade vivem em enormes muralhas para se proteger dos Titãs, criaturas devoradoras de pessoas. A história principal segue Eren Yeager, Mikasa Ackerman e Armin Arlert, jovens que testemunham a destruição de sua cidade natal quando um Titã colossal aparece e abre uma brecha nas muralhas, permitindo que Titãs menores invadam.

Contextualizando

A humanidade vive em um local “isolado” do resto do mundo cercado por muralhas, devido a criaturas gigantes extremamente perigosas que estão do lado de fora. Uma das unidades das forças armadas denominada “tropa de exploração” possui a missão de investigar o mundo além das muralhas e combater os titãs, porém eles nunca saiam vitoriosos dos confrontos, sempre com inúmeras mortes e quase nenhuma descoberta relevante. Até que 3 crianças talentosas (Eren, Mikasa e Armin) se alistam para as forças armadas com o intuito de mudar essa situação e buscar a liberdade que nunca tiveram.

Opinião

Nós nunca podemos considerar que exista pessoas insubstituíveis, tanto no ramo profissional, quanto pessoal, mas nossas percepções individuais sabem que algumas pessoas são muito difíceis de ser substituídas, como por exemplo alguém muito próximo, a mãe, o pai, um pet de estimação… Na área profissional da mesma forma, sempre tem aquela pessoa que desempenha muito bem seu papel na empresa.

Na tropa de exploração não é diferente, existem soldados essenciais para que as missões sejam feitas. Porém devido a dificuldade dessas tarefas a grande maioria (senão todas) terminaram em fracasso, parecia que eles sempre estavam fadados à derrota, não conseguiam evoluir, até que novos recrutas se formam e acontece um “divisor de águas” nas atividades fora das muralhas. Simplesmente o jogo começa a virar aos poucos até que finalmente as vitórias começam a surgir.

Mesmo com vários novos cadetes, sem dúvida nenhuma os três motivos principais para a grande virada de chave foram Eren, Mikasa e Armin, três ótimos soldados com diferentes habilidades: Armin era muito bom com estratégia e diplomacia, tirava ótimas notas e depois de formado se mostrou ótimo líder. Mikasa era genial, se destacou nas atividades práticas, em combate era quase perfeita. Por fim, Eren, não tinha um ponto forte específico, a não ser sua extrema vontade de vencer, sempre muito motivado e nunca desistia de seus objetivos, transbordando também esse sentimento a todos em seu redor.

A importância de Eren se mostrou em vários momentos. Já no comecinho após ter se formado ele decide fazer parte da “tropa de exploração” ou conhecido também como “Reconhecimento”! Onde ninguém queria se aventurar, o reconhecimento era a unidade das forças armadas mais perigosas e mesmo assim, Eren conseguiu influenciar com seus discursos e atitudes exemplares outros cadetes que estavam planejando ser soldados de outras divisões. Sempre quando as missões pareciam impossíveis de serem realizadas e todos estavam completamente desmotivados, Eren conseguia encorajá-los e revertia o clima de derrota da missão.

Mikasa também influenciava as pessoas, logo na primeira missão, após uma invasão dos titãs, muitos soldados já haviam morrido e o final trágico parecia iminente. Mas graças às grandes habilidades em combate, onde ela conseguiu matar vários titãs em pouco tempo, todas as pessoas que estavam cabisbaixas se motivaram e continuaram lutando. Ao longo do anime Mikasa foi essencial para a realização de várias missões, ela era muito diferente dos outros, sabia como ninguém matar Titãs.

Armin era estratégico, não tinha facilidade em motivar as pessoas, mas sabia como ninguém traçar planos, sempre achava soluções para o que parecia impossível, além de utilizar como ninguém as maiores qualidades individuais dos soldados, ele também foi o responsável por diversas vitórias em campo de batalha.

Existe uma obviedade que muitas vezes donos de empresas não entendem, ou talvez não queiram entender, mas quem faz “a máquina funcionar” são os trabalhadores. O CNPJ não fala e nem transpira, quem faz isso são as pessoas que participam dessa instituição. No alto de suas arrogâncias, os donos sempre acham que a oportunidade do trabalho está sendo dada por eles, mas não aceitam que sem a mão de obra, nenhuma empresa cresceria. Se Armin, Mikasa e Eren não decidissem entrar na “tropa de exploração”, o que seria dessa instituição? Provavelmente teriam sido vencidos com o tempo.


Agora, transportando essa questão para a vida profissional, se você trabalhador se acha competente e importante o suficiente para uma empresa, significa que eles dependem de você tanto quanto você depende deles. Não abaixe a cabeça para situações constrangedoras ou que possam te prejudicar, a oportunidade de trabalho é a mesma dos dois lados, afinal, achar outro profissional com as mesmas qualificações e habilidades que você, não será tarefa fácil.


Na vida pessoal não é diferente, se você realmente conhece seu valor e o quanto soma para a vida das pessoas, um término de amizade ou relacionamento amoroso até pode ser doloroso, mas a percepção que conseguiremos ter pessoas “melhores” em nossa vida vai pesar muito mais do que a carência de ficar em um lugar que não nos faz bem.

Elaborado por Rafael Munhoz e Samuel Piroupo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *